Pular para o conteúdo

Simpósio discute melhorias para o monitoramento de eventos adversos 

16/09/2022

Anvisa

A Anvisa, o Uppsala Monitoring Centre (UMC) e empresas da indústria farmacêutica discutiram, nesta quinta-feira (15/9), melhorias para o sistema brasileiro de farmacovigilância, responsável pela identificação e monitoramento de eventos adversos relacionados ao uso de medicamentos. O debate ocorreu no segundo e último dia de atividades do 1º Simpósio Internacional de Farmacovigilância, realizado na sede da Agência, em Brasília (DF).  

O principal assunto apresentado foi o uso de dicionários de medicamentos como forma de aprimorar o conteúdo de relatos sobre produtos envolvidos em casos de eventos adversos ou de problemas detectados após o uso de fármacos.  

Os dicionários em questão são o MedDRA - Medical Dictionary for Regulatory Activities (Dicionário Médico para Atividades Regulatórias) e o WHODrug, que consiste em um sistema global de informações padronizadas, mantido pelo UMC, centro colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o monitoramento da segurança de medicamentos no mundo.   

Esses dicionários ajudam na identificação de medicamentos e vacinas com base em dados codificados. A codificação é única para cada produto. Isto contribui para a melhoria do monitoramento de fármacos em todo o mundo, permitindo análises sobre eventos adversos e troca de informações entre países.   

Os dois dicionários já são utilizados no Brasil, sendo que o MedDRA é de uso obrigatório desde 2020. Atualmente, está em processo de discussão a incorporação do uso mandatório do WHODrug como mais uma ferramenta de melhoria do monitoramento de eventos adversos no país. Essa ferramenta é utilizada por 2.500 organizações em todo o mundo. 

No caso da indústria, essas notificações devem ser feitas pelo VigiMed Empresas, sistema destinado ao uso exclusivo de empresas do setor regulado, adotado pela Anvisa desde 2018 para a gestão das notificações de suspeitas de eventos adversos.  

Durante o evento destacou-se que a codificação de medicamentos e vacinas facilita a identificação de produtos em uma base de dados composta por quatro milhões de produtos de 168 países.   

O 1º Simpósio Internacional de Farmacovigilância integrou as comemorações pelo Dia Mundial de Segurança do Paciente, celebrado em 17 de setembro, e que em 2022 terá como tema a “Medicação Segura”.  

Gostou da notícia? Compartilhe com um colega!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.